Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/689
Title: As (novas) práticas dos professores a partir da reorganização curricular.
Authors: Diogo, Fernando, orientador científico
Mendes, Fernando Manuel Soares
Keywords: Mudança
Trabalho colaborativo
Práticas curriculares
Projeto curricular
Gestão curricular
Autonomia das escolas
Change
Collaborative work
Practical curricular
Curricular Project
Curricular management
Autonomy of the Schools
Issue Date: 2013
Citation: Mendes, F.M.S. (2013). As (novas) práticas dos professores a partir da reorganização curricular. (Tese de doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/689.
Abstract: A reorganização curricular do ensino básico, nomeadamente no 3º ciclo, desencadeada a partir da publicação do Decreto-lei 6/2001, e apelidada como uma não reforma, trouxe alterações significativas ao nível do currículo, com a introdução das áreas curriculares não disciplinares, e ao nível das estratégias do seu desenvolvimento e concretização. A intenção do legislador foi a de criar os instrumentos que tornassem possível adaptar o currículo nacional às especificidades de cada escola e de cada turma, através da construção de projetos curriculares de escolas e de projetos curriculares de turma, com o objetivo de tornar as aprendizagens mais significativas para os alunos e de diminuir o insucesso escolar. Assim, este estudo utilizando uma metodologia de investigação quantitativa/qualitativa, incidiu sobre as práticas de professores a lecionar em escolas EB23 e escolas secundárias com 3º ciclo, entre escolas problemáticas e escolas não problemáticas. Os objetivos deste estudo foram: i - Saber se a nova legislação veio modificar as práticas de planificação curricular dos professores; ii – Saber se a nova legislação veio modificar as práticas de ensino e de avaliação de professores; iii – Saber se a nova legislação veio modificar as práticas de trabalho colaborativo entre professores A partir do nosso estudo podemos inferir que a boa vontade implícita no articulado da legislação não é suficiente para mudar os hábitos, as práticas e a cultura dos professores. Porém, a partir da reorganização curricular, introduziram-se algumas novas práticas no quotidiano escolar dos professores à medida das suas experiências, da sua formação e do contacto com os outros. Apesar de se notarem algumas mudanças verificou-se que, as práticas dos professores são condicionadas pela avaliação interna e externa dos alunos, bem como pela sua própria avaliação e da própria escola, os quais poderão ou não ser fatores de melhoria. Na falta de um verdadeiro e total trabalho colaborativo entre professores da mesma turma, verificou-se a ausência das ACND, no discurso dos professores e das suas práticas. A adequação curricular é realizada pelos professores conforme as facilidades de aprendizagem e conhecimentos dos alunos; assim, de acordo com as caraterísticas da turma, os professores realizam ou não o aprofundamento das matérias, bem como a preparação de testes, mais acessíveis para os alunos com mais dificuldades. A articulação curricular, difícil de realizar, principalmente tendo em conta os programas em vigor, a falta de tempo para pensar essa articulação, bem como o desconhecimento do programa das outras disciplinas, é realizada a partir de um tema ou atividade comum à escola ou à turma. Constatamos que os professores não se assumem como gestores e construtores do currículo, tendo em conta os constrangimentos normativos, impostos pelo poder central, nomeadamente nas questões relativas à avaliação externa e interna, bem como à organização das próprias escolas. Verificamos que a preocupação demonstrada pelos professores com o sucesso dos alunos, bem como a necessidade de mostrar resultados, têm contribuído para a introdução de fatores pouco exigentes na avaliação dos alunos.
The curricular reorganization of basic education, particularly in the 3rd grade, prescribed from the publication of Decree-Law 6/2001, called as a non-reform, brought significant changes at the curriculum level with the introduction of curricular areas, has changes on the strategies of development and imple- mentation. The legislature's intention was to create tools that would allow adapting the national curriculum to the specifics of each school and each class by build- ing schools curriculum projects and classroom curriculum projects, with the goal of making the learning more meaningful to students and reduce school failure Thus, this study using a quantitative / qualitative research methodology fell on teachers who teach in schools and high schools with EB23 3rd grade, prob- lematic schools and schools not so problematic. This study objectives were: i - Whether the new legislation has modified the teachers curricular planification methods, ii - Whether the new legislation has modified the teaching methods and teacher evaluations, iii - Whether the new legislation has modified the teachers collaborative teamwork methods. Whether the teachers assumed the roles of curriculum managers, adapt- ing the curriculum according to the characteristics of the class, or conversely mere uncritical implementers of the curriculum. From our study we can say that the goodwill of the legislation is not enough to change the habits, practices and culture of teachers. But from the curricular reorganization some new introduced practices in everyday school teaching goes with teachers experience, training and contact with others. Although some changes are noticeable, teachers' practices are limited by internal and external student’s assessments as well as by their own assess- ments and the school itself, which may or may not be factors for improvement. Due to the lack of a true and complete collaborative work between teachers from the same class, lacks ACND in the discourse of teachers and their practic- es. The curricular adequacy is carried out by teachers as the ease of learning and knowledge of students, according to the characteristics of the class, teach- ers realize the deepening of knowledge, as well as test preparation tailored to these students, which can be easier for students with more difficulties. Curricular articulation is something difficult to accomplish, mainly because of current programs, lack of time to think how to suit the curricular articulation as well as ignorance of the program being taught in other disciplines, is made from a common theme or activity to school or group. Teachers do not take the responsibility of managing and building the cur- riculum, taking into account the normative constraints imposed by the central power, particularly on issues concerning internal and external assessments, as well as the organization of the schools itself. The concern shown by teachers with student success as well as the need to show results have contributed to the introduction of low demand factors in the evaluation of students.
Description: Orientação: Prof.º Doutor Fernando Diogo.
URI: http://hdl.handle.net/11328/689
Appears in Collections:INPP - Teses de Doutoramento / PhD Thesis



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.