Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/616
Title: Avaliação de Projetos de Educação para a Saúde em escolas secundárias com 3º ciclo: uma proposta de modelização.
Authors: Motta, Maria Lucinda Ferreira Miranda Vasconcelos
Keywords: Avaliação
Modelo CIPP
Saúde
Referencial
Modelização
Evaluation
CIPP model
Health education projects
Referential
Modelling
Issue Date: 2013
Citation: Motta, M.L.F.M.V. (2013). Avaliação de Projetos de Educação para a Saúde em escolas secundárias com 3º ciclo: uma proposta de modelização. (Tese de doutoramento), Universidade Portucalense, Portugal.
Abstract: A escola, dada a sua integração na comunidade, constitui-se, atualmente, como um espaço favorável à implementação das políticas de Educação para a Saúde (EpS). Tendo como principal referente a política educativa atual, que tornou obrigatória, desde 2005, a abordagem desta área em todas as escolas e em todos os níveis de ensino, esta investigação tem como principal objetivo compreender de que forma os projetos de EpS (PEpS) estão a ser elaborados, nomeadamente, se a sua elaboração tem como suporte alguma modelização. Tendo como referente teórico o modelo de avaliação proposto por Stufflebeam em 1960, para avaliação de projetos, o modelo CIPP, elegemos a nossa problemática: em que medida o modelo de avaliação CIPP pode contribuir para uma referencialização da avaliação dos PEpS em contexto escolar e ajudar na sua elaboração, com vista a uma maior eficácia? Dela emergiram outras questões subsidiárias: em que medida está a ser valorizada a temática da EpS no processo de desenvolvimento curricular? em que medida os PEpS se enquadram nas políticas educativas vigentes? de que modo os contextos específicos das escolas têm influência na elaboração dos PEpS? qual o grau de envolvimento/participação dos diferentes atores da comunidade escolar (professores, alunos, pais, encarregados de educação, assistentes operacionais, técnicos externos) na elaboração dos PEpS? de que forma as populações-alvo foram consultadas para a definição de prioridades? que modalidades, tempo e instrumentos de avaliação estão previstos nos PEpS? Para responder à problemática, formulámos o seguinte objetivo geral: desenvolver critérios e indicadores que contribuam para a construção de um quadro de referências de avaliação de PEpS em contexto escolar, tendo por base o modelo CIPP. Circunscrevemos a análise a duas das componentes do modelo CIPP, o Contexto e o Input, decisão validada por Stufflebeam, após contacto via e-mail. A metodologia de natureza qualitativa revelou-se a mais adequada à natureza interpretativa do estudo. Os procedimentos utilizados envolveram, num primeiro momento, a revisão da literatura no âmbito dos conceitos de Promoção de Saúde, Educação para a Saúde, Metodologia de Projeto e Modelo de avaliação CIPP; num segundo momento, a constituição de um corpus documental que incluiu os normativos que enquadram a temática em estudo e 18 PEpS de escolas públicas básicas e secundárias da área metropolitana do Porto e, num terceiro momento, a realização de entrevistas individuais a 6 diretores e a 6 CEpS, das escolas participantes. Os documentos (normativos e PEpS) foram analisados com recurso à análise documental e os dados das entrevistas à análise de conteúdo. Os resultados desta investigação demonstram que a EpS é uma temática intemporal, emergente e com potencial ao nível do currículo; as modificações sobre a Promoção da Saúde e a Educação para a Saúde, determinadas pelo macrossistema, tiveram uma influência notória nas práticas dos professores e nas dinâmicas das escolas; as escolas seguem os referentes normativos aquando da elaboração do PEpS; é incontestável a necessidade e a importância dos referentes contextuais, de cada escola em particular, para a eficácia dos PEpS; a maioria do trabalho está centralizada nos docentes, dificultando a consecução de algumas atividades e inviabilizando outras, colocando em risco o sucesso do projeto; a população-alvo raramente é consultada, priorizando-se como essenciais as áreas definidas nos normativos; embora os PEpS não sigam nenhuma modelização, integram, naturalmente, elementos próprios de modelos de avaliação já testados. Encontramos vantagens da existência de uma modelização que sirva de referente na fase de elaboração do PEpS, pelo que terminámos com uma proposta de modelização, a utilizar de uma forma adaptada a cada contexto, pois devemos ter prudência para não conferir legitimidade científica, através da avaliação, nunca a usando de uma forma acrítica, mas sempre de uma maneira crítica e reflexiva. Desejamos que os PEpS se constituam como um contributo a uma escola Promotora de Saúde, a políticas escolares saudáveis, ao desenvolvimento de competências individuais de saúde, à interação com a comunidade e à articulação com os serviços de saúde. Once the school has been integrated in the community, it is now understood as an ideal place for the implementation of policies on Health Education (HE). The present research presents as main referent the current educational policy, implemented in 2005, which made this area compulsory in all schools and at all levels of education, and aims to understand how HE projects (HEP) are being planned, particularly if their preparation is being supported by some modeling. Having as theoretical referent the valuation model proposed by Stufflebeam (1960) for evaluating projects, the CIPP model, we elected our problem: how far can the CIPP evaluation model contribute to an evaluation framework of HEP in schools and help in their development envisaging a higher efficiency? Other subsidiary issues have emerged: how is the subject of HE being valued in the process of curriculum development? how do HEP fit in existing educational policies? how do the specific contexts of schools influence the drafting of HEP? how far are the different stakeholders in the educational community (teachers, students, parents, tutors, staff and technicians) involved in the preparation of HEP? how were the target populations consulted when setting priorities? what arrangements, timing and evaluation tools are foreseen in HEP? In order to answer the problem we formulated the following overall goal: to develop criteria and indicators that contribute to the construction of a frame of reference for evaluating HEP in schools supported on the CIPP model. We applied the analysis to two of the components of the CIPP model, Context and Input, decision validated by Stufflebeam after e-mail contact. The qualitative methodology proved to be the most appropriate to the interpretive nature of the study. The procedures used involved, at first, a literature review concerning Health Promotion, Health Education, Project Methodology and Evaluation Model CIPP, subsequently, the formation of a corpus of documents that included the legislation that fit the issue under study of HEP as well as HEP of 18 primary and secondary schools in the metropolitan area of Porto and finally, individual interviews with six directors and six coordinator health education project (CHEP). The documents (legislation and HEP) were analyzed using document analysis and for the interviews data content analysis was used. The results of this research show that HE is an emerging timeless subject, with potential at the curriculum level; modifications on Health Promotion and Health Education determined by the macrosystem had a remarkable influence on teaching practices and schools dynamics; schools follow the related regulations in the preparation of HEP; the need and importance of contextual referents of each school in particular is indisputable for the efficacy of HEP; most of the work is centered on teachers, making it difficult to implement some activities and invalidating others, jeopardizing the success of the project, the target population is rarely consulted, focusing on core areas as defined in the regulations, although HEP do not follow any modeling they naturally include elements of already tested evaluation models. We have found advantages in having a modeling serving as referent in the preparation of HEP, thus we have finished with a proposed modeling to use according to each context once we must be cautious not to confer scientific legitimacy by assessing , never using it uncritically, but always in a critical and reflective way. We hope that HEP become a contribution to a health promoting school, to healthy school policies, to the development of individual health skills, to community interaction and coordination with health services.
URI: http://hdl.handle.net/11328/616
Appears in Collections:INPP - Teses de Doutoramento / PhD Thesis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TDE 2.pdf4.93 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.