Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/4628
Title: Human security of Inuit and Sámi in Canada and Finland: comparing Arctic policies
Authors: Kirchner, Stefan, orientador científico
Matos, André, orientador científico
Rodrigues, Celina Gonçalves
Keywords: Arctic Indigenous peoples
Arctic policies
Arctic region
Canada
Climate change
Finland
Human security
Inuit
Sámi
Issue Date: 9-Jan-2023
Citation: Rodrigues, C. G. (2023). Human security of Inuit and Sámi in Canada and Finland: comparing Arctic policies [Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais e Diplomacia: Especialização em Diplomacia Política, Universidade Portucalense]. Repositório Institucional UPT. http://hdl.handle.net/11328/4628
Abstract: The 21st century looks like the century of climate change threat due to inaction of states, governments in the past. Not that there were not calls and studies alerting to the situation we are witnessing. Arctic Indigenous peoples were the first to feel the causeeffect, with no responsibility to the harm that was and is affecting their way of life, their living subsistence, their home. Climate change has direct and indirect impacts. Facing the inability of the States to keep them safe and secure, Inuit and Sámi organisations had to take the lead to protect themselves, at least with their voices heard at international level. The Inuit Circumpolar Council and Sámi Council have done a great job that allowed to recognise their human rights as well as giving them a place at the Arctic Council as Permanent Participants. In order to understand the difficulties at national level, the comparison work will be helpful to analyse the applicability of human security (within a trinity that includes Green theory and ecosystem approach) of Canada and Finland´s Arctic policies, where Inuit and Sámi live, respectively, acknowledging the impact both countries can provide to their Arctic communities as part of their country and society, accepting their diversity. Keeping population safe is an obligation of States, though in this new century and climate threat context, they can not to do it alone.
O século 21 é século da ameaça das alterações climáticas como consequência a inação dos estados e governos no passado. Vários foram os avisos e estudos que alertaram para a situação que agora estamos a vivenciar. As populações Indígenas do Ártico foram as primeiras a sentir a causa-efeito de algo sobre a qual não têm responsabilidade, afetou e afeta o seu modo de vida, de subsistência, a sua casa. As alterações climáticas têm efeitos diretos e indiretos. Perante a passividade dos estados em manter a segurança das populações, as organizações que representam os Inuit e Sámi tomaram as rédeas para proteger as suas comunidades, tendo a sua voz ouvida a nível internacional. As organizações Inuit Circumpolar Council e Sámi Council têm desenvolvido um trabalho extraordinário que tem permitido o reconhecimento dos seus direitos humanos bem como ter um lugar no Conselho do Ártico enquanto Permanent Participants. De modo a entender as dificuldades no plano nacional, a comparação será útil na análise da aplicabilidade da segurança humana (integrada na tríade de Green theory e abordagem do ecossistema) nas políticas do Ártico do Canada e da Finlândia, onde vivem os Inuit e Sámi respetivamente. Comprovar-se-á o impacto de ambos em providenciar segurança às comunidades do Ártico como parte do país e da sociedade, aceitando a sua diversidade. Manter a população segura é uma obrigação dos Estados, contudo, neste contexto de ameaça das alterações climáticas neste novo século, é algo que já não podem realizar sozinhos.
URI: http://hdl.handle.net/11328/4628
Appears in Collections:IJP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_2733.pdf4.23 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.