Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/4416
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorVagos, Paula, orientador científico-
dc.contributor.advisorSilva, Joana Ribeiro da, coorientadora-
dc.contributor.authorAraújo, Vânia Maia-
dc.date.accessioned2022-08-16T10:11:47Z-
dc.date.available2022-08-16T10:11:47Z-
dc.date.issued2022-08-01-
dc.identifier.citationAraújo, V. M. (2022). Impacto da vinculação e da flexibilidade psicológica materna no vínculo ao bebé nos primeiros meses de vida [Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde, Universidade Portucalense]. Repositório Institucional UPT. http://hdl.handle.net/11328/4416pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11328/4416-
dc.description.abstractO presente estudo visa estudar o impacto da vinculação e da flexibilidade psicológica materna no vínculo ao bebé nos primeiros meses de vida. A representação materna diz respeito à experiência interna e subjetiva da mãe acerca do seu papel materno, do papel do seu bebé e da relação que espera desenvolver com o mesmo. Ainda que a literatura tenha apontado a relevância da vinculação materna para o desenvolvimento da ligação ao bebé, esta relação pode sofrer impacto pela forma como a pessoa se relaciona com experiências externas e internas, nomeadamente de uma forma rígida ou flexível. Para responder aos objetivos do estudo, recorreu-se a uma amostra de 226 participantes, mães cuidadoras de bebés até aos 9 meses de vida. Foram utilizados três instrumentos, a Escala de Vinculação ao Adulto, o Questionário de Ligação ao Bebé após o Nascimento e o CompACT. Os resultados obtidos reforçam a ideia de que uma representação da vinculação da mãe mais positiva, levam a uma ligação ao bebé mais positiva, na medida em que, se verificou que a vinculação ao adulto é um preditor significativo da ligação ao bebé. Ainda assim, nem todas as medidas da vinculação foram associadas à ligação ao bebé (conforto com a proximidade e confiança nos outros).pt_PT
dc.description.abstractThe present study aims to study the impact of attachment and maternal psychological flexibility on bonding to the baby in the first months of life. Maternal representation concerns the internal and subjective experience of the mother about her maternal role, the role of her baby and the relationship she hopes to develop with him. Although the literature has pointed out the relevance of maternal attachment for the development of attachment to the baby, this relationship can be impacted by the way the person relates to external and internal experiences, namely in a rigid or flexible way. To meet the objectives of the study, we used a sample of 226 participants, mothers caring for babies up to 9 months of age. Three instruments were used, the Adult Attachment Scale, Postpartum Bonding Questionnaire and CompACT. The results obtained reinforce the idea that a more positive representation of the mother's attachment leads to a more positive attachment to the baby, as it was found that adult attachment is a significant predictor of attachment to the baby. Still, not all attachment measures were associated with attachment to the baby (comfort with proximity and trust in others).pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectRepresentação da vinculação maternapt_PT
dc.subjectLigação ao bebépt_PT
dc.subjectFlexibilidade psicológicapt_PT
dc.subjectMaternidadept_PT
dc.subjectMediaçãopt_PT
dc.titleImpacto da vinculação e da flexibilidade psicológica materna no vínculo ao bebé nos primeiros meses de vidapt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
thesis.degree.nameMestrado em Psicologia Clínica e da Saúdept_PT
dc.identifier.tid203054482-
dc.subject.fosPsicologia Clínica e da Saúdept_PT
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_2427.pdf1.28 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.