Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3945
Title: O exemplo dos líderes na promoção do well-being dos seus seguidores através da atividade física
Authors: Ferreira, Pedro, orientador científico
Silva, Rui Pedro dos Reis Madeira Vaz e
Keywords: Atividade física do colaborador
Liderança transformacional
Bem-estar subjetivo
Liderança
Bem-estar
Issue Date: 24-Feb-2022
Citation: Silva, R. P. R. M. V. (2022). O exemplo dos líderes na promoção do well-being dos seus seguidores através da atividade física. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3945
Abstract: Através da premissa “o exemplo dos líderes na promoção do Wellbeing dos seus seguidores através da atividade física”, procura-se debater a relação entre três temas – a atividade física do colaborador; o bem-estar subjetivo e a liderança transformacional. Dentro destes, existem particularidades que direta ou indiretamente os ligam, nomeadamente, os potenciais contributos da atividade física no bem-estar das pessoas, ou o impacto da liderança transformacional nesse bem-estar. Levanta-se a questão de saber se as organizações representam meios ou veículos através dos quais as sociedades e comunidades podem combater o sedentarismo que se abate sobretudo, nos ambientes de trabalho do tipo escritório e onde os seres humanos passam, em média, a maior parte do seu tempo de vida. Então, qual será o papel dos líderes transformacionais na criação de estratégias de atividade física por via das organizações? Podem estes líderes e suas organizações ser catalisadores para o combate ao sedentarismo, beneficiando assim com o aumento do bem-estar dos seus colaboradores e equipas? Através dos resultados obtidos num questionário a 71 pessoas, que junta métricas de atividade física, bem-estar subjetivo e liderança transformacional, procura-se saber qual a relação entre estes tópicos, questionário esse distribuído junto de pessoas que trabalham no setor dos serviços ou, mesmo que no seio da indústria da manufatura, que trabalham nos serviços administrativos em ambiente de escritório. Essa relação foi calculada através do coeficiente de correlação de Pearson. Os resultados obtidos apontam para a inexistência de uma relação entre a liderança transformacional, a atividade física do colaborador e entre esta e o bem-estar subjetivo dos inquiridos. Contudo, há uma relação positiva entre a liderança transformacional e o bem-estar subjetivo dos colaboradores. Assim, à exceção da relação entre a liderança transformacional e o bem-estar subjetivo, não se confirmam as hipóteses teóricas apontadas pela literatura, mas deixam-se algumas pistas para futuras pesquisas no sentido de utilizar escalas mais densificadas e dinâmicas que possam aferir com mais detalhe da relação entre estes tópicos. Também a relação entre a liderança transformacional e a atividade física deve ser mais aprofundada teoricamente.
Using the premise “the exemple of leaders in the promotion of the Wellbeing of their followers through physical activity”, this work seeks to debate the relationship between three main topics – employee physical activity; subjective wellbeing; and transformational leadership. Within these themes, there are particularities that directly or indirectly connect them, namely, the potential contributes of physical activity on people’s wellbeing or the impact of transformational leadership on that same wellbeing. A question arises regarding the role of organizations as a mean or a vehicle through which societies and communities can fight the sedentarism that is mainly present in office type working environments where human beings spend on average most of their living time. What is then the role of transformational leaders in creating physical activity strategies through organziations? Can these leaders and their organizations be catalysts in the fight against sedentarism, creating a two-way benefit by raising their employee and team’s wellbeing? Using the results gathered from a questionnaire on 71 people, that couples physical activity, subjective wellbeing and transformational leadership metrics, this work seeks to understand the relationship between these topics, distributed along people that work in the service sector and the manufacturing industry’s administrative office jobs. That relationship was calculated using the Pearson correlation coefficient (r). The results point to the inexistence of a relationship between transformational leadership and employee physical activity and the latter and the subjective wellbeing of the respondents. However, a positive relationship between transformational leadership and subjective wellbeing of the employees was found. Therefore, the theoretical hypotheses identified by the literature were not confirmed, except for the relationship between transformational leadership and subjective wellbeing, but some clues are discussed regarding future research, mainly regarding the utilization of more specific and dense scales that can assess with more detail of the relationship between these topics. A more in-depth study of the relationship between transformational leadership and physical activity is also suggested.
URI: http://hdl.handle.net/11328/3945
Appears in Collections:REMIT - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_2099_1646222160.pdf2.92 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.