Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3878
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAlves, Dora Resende, orientador científico-
dc.contributor.advisorSilva Lopes, José Augusto, coorientação-
dc.contributor.authorFreitas, Grace Castelo Branco-
dc.date.accessioned2022-01-13T10:00:51Z-
dc.date.available2022-01-13T10:00:51Z-
dc.date.issued2022-01-07-
dc.identifier.citationFreitas, G. C. B. (2022). O judiciário e a efetivação do direito constitucional à saúde no Brasil em Portugal. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3878pt_PT
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11328/3878-
dc.description.abstractA presente dissertação analisa a efetivação do direito constitucional à saúde no Brasil e em Portugal. O tema é dividido, de forma a refletir sobre o problema da efetividade dos direitos sociais, destacando o direito à saúde que por sua vez é indissociável e está presente o núcleo mínimo de direitos que é essencial à garantia do princípio da dignidade da pessoa humana. Em uma visão doutrinária o direito à saúde, por ser um direito social é classificado como um direito de 2.ª geração, acentuado como verdadeiro direito prestacional, tanto em uma perspectiva objetiva, como subjetiva. Nesse contexto, o escopo é evidenciar inicialmente, a relação do direito fundamental à saúde com: I) a cláusula da reserva do possível e a relação com o mínimo existencial na concretização dos direitos sociais; II) o direito social à saúde e o Estado; III) o direito social à saúde no Brasil; IV) a implementação da saúde como direito na Constituição Brasileira de 1988; V) ; o direito à saúde em Portugal; IV) o princípio da separação dos poderes; VI) o Poder Judiciário e sua função; VII) a judicialização do direito à saúde no Brasil e em Portugal. Tudo embasado no posicionamento atualmente previsto na doutrina em voga e nas decisões dos Tribunais de ambos os países Brasil e Portugal. De forma contínua, explanaremos, sem intenção de esgotar os tópicos, sobre a realidade da saúde no Brasil e em Portugal, assim como esboçaremos a forma em que o Poder Judiciário, na visão dos Tribunais Superiores do Estado Brasileiro e do Estado Português, se posicionam para assegurar aos cidadãos através da prestação judicial, no que diz respeito à garantia de acesso e proteção à saúde, levando em consideração o contexto da reserva do possível.pt_PT
dc.description.abstractThis dissertation analyses the enforcement of the constitutional right to health in Brazil and Portugal. The subject is divided in such a way as to dwell on the problem of the effectiveness of social rights, highlighting the right to health, which in turn is inseparable, and the presence of the minimum core of rights that is essential to guarantee the principle of human dignity. In a doctrinal view, the right to health as a social right is classified as a 2nd generation right, emphasized as a true right, in both objective and subjective perspectives. In this context, the scope is firstly to show the relationship of the Fundamental Right to health care with: I) the clause of reserve of that which is possible and the relationship with the existential minimum in the achievement of social rights; ii) the Social Right to Health and the State; III) the social right to health in Brazil; IV) the implementation of health as a right in the Brazilian Constitution of 1988; V) the right to health in Portugal; VI) the principle of separation of powers ;VI) the power of the judicial system and its function; VII) the judicialization of the right to health in Brazil and Portugal. All is based on the position presently foreseen in the current Doctrine and in the Decisions of the Courts of both Brazil and Portugal. Then we will expound, without intending to exhaust the topics, the reality of health in Brazil and Portugal, as well as outline the way in which the Judicial System, in the view of the Upper Courts of the Brazilian and Portuguese States, is positioned to safeguard citizens through judicial provisions, to guarantee health access and protection, taking into account the context of the reserve of that which is possible.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectDireitos fundamentaispt_PT
dc.subjectDireitos sociaispt_PT
dc.subjectDireito à saúdept_PT
dc.subjectTeoria da efetividadept_PT
dc.subjectReserva do possívelpt_PT
dc.subjectPoder judiciário Brasil-Portugalpt_PT
dc.titleO judiciário e a efetivação do direito constitucional à saúde no Brasil em Portugalpt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
thesis.degree.nameMestrado em Direitopt_PT
dc.identifier.tid202947076-
dc.subject.fosDireitopt_PT
Appears in Collections:IJP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_2311.pdf1.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.