Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3863
Title: Neofobia alimentar e qualidade de vida de crianças com alergia alimentar: Impacto da personalidade e do stress materno
Authors: Conde, Ana, orientador científico
Araújo, Maria, co-orientação
Monteiro, Andreia Juliana Gomes
Keywords: Neofobia alimentar
Alergia alimentar
Stress materno
Qualidade de vida
Personalidade
Issue Date: 13-Dec-2021
Citation: Monteiro, A. J. G. (2021). Neofobia alimentar e qualidade de vida de crianças com alergia alimentar: Impacto da personalidade e do stress materno. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3863
Abstract: A neofobia alimentar carateriza-se pelo evitamento em provar alimentos desconhecidos. Esta condição pode desencadear consequências no crescimento, desenvolvimento e relacionamento social das crianças afetadas. O presente estudo procurou analisar a associação entre a neofobia alimentar das crianças e as características de personalidade, sintomatologia psicológica e ansiedade e superproteção parental das mães, considerando crianças com e sem alergia alimentar. Neste estudo participaram 73 mães de crianças dos 0 aos 12 anos, com (N = 32) e sem alergia alimentar (N = 41). Foram aplicados, em momento único, os seguintes instrumentos: Questionário Sociodemográfico e Clínico, Escala de Neofobia Alimentar Infantil; Escala de Ansiedade, Depressão e Stress; Escala de Avaliação de Ansiedade e Superproteção Parental; Inventário da Personalidade para ambos os grupos. Adicionalmente, foi aplicado o Questionário da Qualidade de Vida em crianças dos 0 aos 12 anos com alergia alimentar para o grupo das mães com filhos com alergia alimentar. Os resultados evidenciam maiores níveis de neofobia nas crianças com alergia alimentar comparativamente a crianças sem alergia alimentar. Nas mães de crianças com alergia alimentar, verificou-se que quanto maiores os níveis de neuroticismo materno e maiores os níveis de neofobia alimentar das crianças, maior também o impacto percecionado da alergia alimentar na qualidade de vida das crianças. Reforçando a perspetiva evolucionista, as evidências obtidas sugerem que comportamentos neofóbicos são úteis para minimizar riscos de ingestão de alimentos prejudiciais à saúde, embora esta restrição pareça associar-se a uma pior qualidade de vida decorrente da alergia alimentar, para a qual contribuem também traços de neuroticismo das mães. Tal aponta para a necessidade de acompanhamento psicológico das crianças com alergia alimentar e respetivas famílias, no sentido de promover um melhor ajustamento à doença.
Food neophobia is characterized by an avoidance of tasting unfamiliar foods. This condition can have consequences on the growth, development, and social relationships of affected children. The present study sought to analyze the association between children's food neophobia and mothers' personality characteristics, psychological symptoms, and parental anxiety and overprotection, considering children with and without food allergy. In this study, 73 mothers of children aged 0 to 12 years, with (N = 32) and without food allergy (N = 41), participated. The following instruments were applied at a single time: Sociodemographic and Clinical Questionnaire, Infant Food Neophobia Scale; Anxiety, Depression and Stress Scale; Parental Anxiety and Overprotection Rating Scale; Personality Inventory for both groups. Additionally, the Quality-of-Life Questionnaire was applied to children aged 0 to 12 years with food allergy for the group of mothers with children with food allergy. The results show higher levels of neophobia in children with food allergy compared to children without food allergy. In mothers of children with food allergy, it was found that the higher the levels of maternal neuroticism and the higher the levels of food neophobia in children, the greater the perceived impact of food allergy on children's quality of life. Reinforcing the evolutionary perspective, the obtained evidence suggests that neophobic behaviors are useful to minimize risks of ingestion of unhealthy foods, although this restriction seems to be associated with a worse quality of life due to food allergy, to which mothers' neuroticism traits also contribute. This points to the need for psychological monitoring of children with food allergy and their families, in order to promote a better adjustment to the disease.
URI: http://hdl.handle.net/11328/3863
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_2082.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.