Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3538
Title: Portugal e a NATO: compreender a continuidade na política externa pós-Revolução de Abril a partir da Análise de Política Externa
Authors: Sousa, Pedro Ponte e
Keywords: Política externa
NATO
Revolução de Abril
Relações Portugal-EUA
Issue Date: 2020
Publisher: Edições Colibri
Citation: Sousa, P. P. (2020). Portugal e a NATO: compreender a continuidade na política externa pós-Revolução de Abril a partir da Análise de Política Externa. In A. S. Ferreira, & J. Madeira, As Esquerdas Radicais Ibéricas entre a Ditadura e a Democracia - Percursos Cruzados, pp. 127-141. Edições Colibri. ISBN: 9789896899455. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3538
Abstract: Nos anos 70 do século passado, quando findaram as ditaduras ibéricas, a constelação de pequenas organizações que se situavam à esquerda dos partidos comunistas congregaram inteligências e vontades de uma geração nascida do segundo pós-guerra, em tempos de guerra fria e do desenvolvimento do capitalismo e da sociedade de consumo. Eram organizações profundamente sectárias e dogmáticas, de base predominantemente estudantil, oscilando entre a agitação e o doutrinarismo, acentuando divergências e desmultiplicando-se em pequenas e grandes cisões. A queda das ditaduras ibéricas proporcionou-lhes processos de reconfiguração e de crescimento que lhes permitiu uma intervenção que tem sido historicamente desvalorizada. Este Colóquio procura reapreciar, numa perspetiva comparada, o seu papel nos processos de transição democrática. Maoístas e trotskistas, luxemburguistas e internacional situacionistas, autogestionários e neo-estalinistas, gramscianos e libertários, a queda das ditaduras ibéricas proporcionou-lhes processos de reconfiguração e de crescimento na especificidade dos processos que se seguiram, cujo estudo comparativo ajudará a clarificar não só os espaços de interacção e solidariedade, como de convergência ou abjunção de posicionamentos, actuações e desenvolvimentos no espaço peninsular. As esquerdas radicais ibéricas na pluralidade das suas expressões foram parte incontornável do processo de transição para a democracia. Expressando distintas ideias e modelos de revolução, ajustando-se e desajustando-se das conjunturas em que intervinham, procuraram construir respostas, disputar influências junto de diferentes camadas e sectores sociais. O conjunto de comunicações e trabalhos que vão ser apresentados ao Seminário constituem um contributo para um melhor conhecimento de uma faceta menos valorizada desse período tanto em Portugal como em Espanha, onde os processos de transição se cruzaram no tempo e na especificidade de cada país.
URI: http://hdl.handle.net/11328/3538
ISBN: 9789896899455
Appears in Collections:IJP - Livros e Capítulos de Livros / Books and Book Chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
4.pdf1.98 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.