Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3161
Title: Centralidade do evento face ao isolamento social: impacto na ansiedade social de estudantes do sexo feminino do Ensino Superior
Authors: Vagos, Paula, orientador científico
Fernandes, Sara, orientador científico
Pereira, Ângela Maria Alves
Keywords: Ansiedade social
Centralidade do evento
Isolamento social
COVID-19
Issue Date: 29-Jul-2020
Citation: Pereira, A. M. A. (2020). Centralidade do evento face ao isolamento social: impacto na ansiedade social de estudantes do sexo feminino do Ensino Superior. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3161
Abstract: No âmbito da pandemia COVID-19, a população vivenciou uma situação de isolamento social imposto. Estando a Ansiedade Social (AS) tipicamente associada a evitamento social, e tendo em consideração a tendência de ansiosos sociais para catastrofizar, o isolamento pode ter influência na forma como percebem o evento, tornando-o central para a organização de outras experiências futuras e deste modo produzindo um impacto negativo na AS. O presente estudo tem como objetivo principal verificar se a centralidade atribuída ao evento prevê (total ou parcialmente) os níveis de AS, e se este impacto é moderado pelo isolamento social imposto. A investigação contou com a participação de 83 participantes do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos de uma universidade localizada na cidade do Porto. Foi aplicado um questionário sociodemográfico, algumas questões acerca do período de isolamento social, a Escala de Ansiedade e Evitamento em Situações de Desempenho e Interação Social e a Escala de Centralidade do Evento. Os resultados obtidos permitiram concluir que existe uma correlação estatisticamente significativa entre a AS e a centralidade do evento nos indivíduos que não saíram de casa. Para este mesmo grupo, verificou-se que uma maior centralidade do evento faz prever níveis mais elevados de AS e que maiores níveis de impacto na identidade pessoal fazem prever níveis mais altos de AS. Assim, os indivíduos que permaneceram em casa durante o isolamento, poderão ter apresentado níveis superiores de AS, uma vez que, provavelmente, fizeram reajustes mais negativos na forma como se autopercecionavam e não desconfirmaram as distorções relativamente ao evento. Para a AS em particular, e dada a importância de experiências de socialização enquanto formas de desconfirmar distorções cognitivas que lhe estão frequentemente associadas, o isolamento parece ter impacto ao torná-la dependente da reestruturação da identidade pessoal.
URI: http://hdl.handle.net/11328/3161
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
exemplar_1742.pdf403.36 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.