Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/3004
Title: O papel da família no bem-estar subjetivo das crianças
Authors: Delgado, Paulo
Oliveira, Joana
Carvalho, João M. S.
Correia, Fátima
Campos, Paula
Keywords: Bem-estar subjetivo
Família
Participação
Children World Projet
Issue Date: 2019
Citation: Delgado, P., Oliveira, J., Carvalho, J. M. S., Correia, F., & Campos, P. (2019). O papel da família no bem-estar subjetivo das crianças. In Libro de Comunicaciones Completas y Conclusiones del Congresso Internacional – XXXI Seminario Interuniversitario de Pedagogía Social: "Pedagogía social, investigación y familias" (pp. 7-20), Palma de Maiorca, España, 21-23 nov.2018. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/3004
Abstract: Desde os primeiros anos de vida que a família se constitui como o núcleo mais importante da vida da criança, exercendo uma influência crucial no seu bemestar e na sua qualidade de vida (Rodrigo & Palacios, 1998; Papalia, Feldman & Olds, 2001). Deste modo, o conhecimento da estrutura familiar e de outros dados relacionados com a dinâmica e funcionamento familiar é fundamental para a promoção dos direitos de cada um dos seus membros, e da criança ou jovem, em particular (Cordeiro, 2016). Não restam dúvidas de que as relações familiares e a participação no contexto familiar são aspetos centrais para o desenvolvimento do bem-estar das crianças. Estudos do bem-estar subjetivo/ Subjetive well-being (SWB) em diferentes países salientam a influência da estrutura familiar e da participação no contexto familiar na avaliação das relações familiares e na perceção do bem-estar global de crianças e adolescentes (González et. al, 2015; Dinisman, Andresen, Montserrat, Strózik & Strózik, 2017). Nos últimos anos, tem sido realizados estudos regulares que analisam o bemestar subjetivo das crianças incluídas na população em geral, no âmbito do Children World Project (http://www.isciweb.org.). Os estudos do SWB sublinham a importância da participação das crianças relativamente às decisões que afetam a sua vida, em dimensões como a família, a educação, a rede de amigos e a utilização do tempo livre (Casa & Rees, 2015; González et.al., 2015; Sarriera et. al., 2015; Casas, 2016). A estabilidade, o sucesso educativo, uma relação afetiva e comprometida com os seus familiares, a existência de uma rede social de amigos, e a realização de atividades de tempo livre, atuam como fatores compensadores, que potenciam o sentimento de bem-estar (Lee & Yoo, 2015). O International Survey of Children’s Well-Being (ISCWeB), da Children’s Worlds, envolve países dos diferentes continentes e recolhe dados relativos à vida das crianças e às suas atividades diárias, às suas relações familiares e, em particular, às suas próprias perceções e avaliações do seu bem-estar. O objetivo é melhorar o bem-estar das crianças, divulgando o conhecimento da sua vida quotidiana, nas próprias crianças, na família, e na comunidade, e promovendo a compreensão das suas convicções, do seu grau de satisfação com o meio e com as relações que mantêm. Ambiciona igualmente influenciar os líderes de opinião, decisores, os profissionais e o público em geral, nos países que participam no projeto bem como no panorama internacional. As dimensões abrangidas pelo ISCWeB são as seguintes: casa; saúde; objetos materiais; utilização do tempo; relações interpessoais; escola; zona em que vive; dados pessoais. Inclui 3 escalas psicométricas de SWB: - PWI (Personal well-being Index) - SLSS (Student ́s Life Satisfaction Scale) - OLS (Overall life satisfaction) A primeira fase do projeto começou em 2009, abrangeu 14 países numa pesquisa piloto em grande escala e contou com a participação de 34.500 crianças (Tamar & Rees, 2014; Tamar & Ben-Arieh, 2015; Tamar, Main & Fernandes, 2015). A recolha dos dados relativa à segunda fase decorreu a partir de 2013, abrangeu 19 países e teve a participação de 53.000 crianças. Os principais resultados do estudo encontram-se compilados em diferentes publicações (Chidren’s Worlds, 2016; Rees, Bradshaw & Andresen, 2015; Rees & Main, 2015). A terceira fase do estudo arrancou em 2016 e prolonga-se até 2019. Este trabalho centra-se na análise do bem-estar subjetivo, focando-se particularmente na relação das crianças com 10 anos de idade com a família e como esta se relaciona com a perceção de bem-estar geral das crianças. A proposta de comunicação que se submete propõe apresentar os resultados da aplicação do questionário utilizado no International Survey of Children ́s Well- Being (ISCWeB – Children ́s worlds), no decurso da terceira vaga, em 2017/2018, numa amostra de 67 crianças do 5.o ano de escolaridade de escolas públicas da área metropolitana do Porto.
URI: http://hdl.handle.net/11328/3004
ISBN: 978-84-09-08913-0
Appears in Collections:REMIT - Comunicações a Congressos Internacionais / Papers in International Meetings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O papel da família no bem-estar subjetivo das crianças.pdf821.71 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.