Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/2996
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorDelgado, Paulo-
dc.contributor.authorCarvalho, João M. S.-
dc.contributor.authorCorreia, Fátima-
dc.date.accessioned2020-02-04T16:26:12Z-
dc.date.available2020-02-04T16:26:12Z-
dc.date.issued2019-
dc.identifier.citationDelgado, P., Carvalho, J. M. S., & Correia, F. (2019). Viver em família ou numa instituição: o bem-estar subjetivo de adolescentes em Portugal. Psicoperspectivas: Individuo y Sociedad, 18 (2), 1-14. doi: 10.5027/psicoperspectivas-vol18-issue1-fulltext-1605. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/2996pt_PT
dc.identifier.issn0717-7798-
dc.identifier.issnISSNe: 0718-6924-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11328/2996-
dc.description.abstractO conceito de bem-estar subjetivo é complexo e multifacetado e relaciona-se com aquilo que cada pessoa pensa, avalia e sente sobre a sua própria vida, de acordo com a suas circunstâncias individuais e sociais. O objetivo deste estudo é comparar os níveis de bem-estar subjetivo das crianças em acolhimento familiar e em acolhimento residencial, relativamente às crianças na população geral, e compreender a influência no bem-estar subjetivo das crianças de fatores como a escola ou a relação que desenvolvem com pares e adultos. A amostra é composta por três grupos: 238 crianças que vivem na população geral, 145 em acolhimento residencial e 39 em acolhimento familiar. Os dados foram obtidos através da aplicação do questionário International Survey of Children's Wells Os resultados indicam que as crianças em acolhimento residencial têm um menor bem-estar subjetivo em comparação com os grupos de crianças em acolhimento familiar e na população geral. É essencial e urgente desenvolver programas de acolhimento familiar que proporcionem a um número crescente de crianças a possibilidade de crescerem num ambiente familiar, e requalificar as casas de acolhimento residencial em Portugal.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.relationCICS.NOVA – Interdisciplinary Centre of Social Sciences – 4647-FCTpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/pt_PT
dc.subjectAcolhimento familiarpt_PT
dc.subjectAdolescentespt_PT
dc.subjectAcolhimento residencialpt_PT
dc.subjectBem-estar subjetivopt_PT
dc.subjectPortugalpt_PT
dc.titleViver em acolhimento familiar ou residencial: O bem-estar subjetivo de adolescentes em Portugalpt_PT
dc.title.alternativeLiving in foster or residential care: The subjective well-being of adolescents in Portugalpt_PT
dc.typearticlept_PT
dc.relation.publisherversionhttps://www.psicoperspectivas.cl/index.php/psicoperspectivas/article/view/1605pt_PT
dc.peerreviewedyespt_PT
degois.publication.firstPage1pt_PT
degois.publication.lastPage14pt_PT
degois.publication.volume18pt_PT
degois.publication.issue2pt_PT
degois.publication.titlePsicoperspectivas: Individuo y Sociedadpt_PT
dc.identifier.doi10.5027/psicoperspectivas-vol18-issue1-fulltext-1605pt_PT
Appears in Collections:REMIT – Artigos em Revistas Internacionais / Papers in International Journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Viver em acolhimento familiar ou residencial.pdf382.03 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.