Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/2944
Title: A relação entre as experiências de vitimização, autocompaixão e o petisco contínuo: O papel mediador da vergonha com imagem corporal
Authors: Palmeira, Lara Sofia Nascimento, orientador científico
Sousa, Diana Filipa Guedes de
Keywords: Petisco Contínuo
Vergonha
Autocompaixão
IMC
Experiências de vitimização na infância
Issue Date: 23-Sep-2019
Citation: Sousa, D. F. G. (2019). A relação entre as experiências de vitimização, autocompaixão e o petisco contínuo: O papel mediador da vergonha com imagem corporal. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/2944
Abstract: Experiências precoces negativas têm sido associadas a problemas de saúde mental e perturbações do comportamento alimentar. Do mesmo modo, evidências crescentes salientam o papel fulcral da vergonha com a imagem corporal na adoção de comportamentos alimentares perturbados. Contrariamente, a autocompaixão, definida como a capacidade de ter uma atitude de aceitação e tolerância em relação ao próprio tem sido consistentemente associada a bem-estar e menores níveis de psicopatologia alimentar. O petisco contínuo (“Grazing”), caracteriza-se por um padrão de episódios repetidos de consumo de pequenas quantidades de alimentos ao longo do dia de forma não planeada, tem permanecido pouco explorado. Neste sentido, o objetivo deste estudo é avaliar o impacto das experiências de vitimização na infância (perpetuada por pais e pares), da auto compaixão e da vergonha com a imagem corporal (interna e externa) no petisco contínuo, controlando o índice de massa corporal (IMC). A amostra é constituída por 129 adultos da comunidade, com uma idade média de 27.11 anos (DP = 11.36), 12.34 anos de escolaridade (DP = 2.63) e um IMC médio de 24.27 (DP = 4.27). Os resultados sugerem que a relação entre as experiências precoces de vitimização, a autocompaixão e o petisco continuo compulsivo é mediada pela vergonha com a imagem corporal (externa e interna). Os resultados salientam a importância de desenvolver uma atitude mais calorosa e compassiva para com a sua imagem corporal e alimentação, promovendo a saúde.
Early negative experiences have been consistently associated with mental health problems and disordered eating behaviors. Similarly, increasing evidence highlights the pivotal role of bodyimage related shame in the adoption of maladaptive eating behaviors. Conversely, self-compassion, defined as the ability to have an attitude of acceptance and tolerance toward oneself, has been consistently associated with well-being and lower levels of eating psychopathology. Grazing refers to a pattern of repeated episodes of consumption of small amounts of food throughout the day in an unplanned manner and remains relatively underexplored. In this sense, the aim of this study is to assess the impact of early victimization experiences (perpetuated by parents and peers), selfcompassion and body-image related shame (internal and external) on grazing behaviours, controlling body mass index (BMI). The sample consists of 129 community adults with an average age of 27.11 years (SD = 11.36), 12.34 years of schooling (SD = 2.63) and an average BMI of 24.27 (SD = 4.27). The results suggest that the relationship between early experiences of victimization, self-compassion, and grazing is mediated by body-image related shame (external and internal). The results highlight the importance of developing a warmer and more compassionate attitude towards your body image and diet, promoting health.
URI: http://hdl.handle.net/11328/2944
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TMPS 140.pdf707.93 kBAdobe PDFView/Open    Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.