Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/1993
Title: Avaliação do stress traumático em crianças e jovens expostos a acontecimentos difíceis
Authors: Rocha, José Carlos, orientador científico
Moreira, Maria do Céu Sousa
Keywords: Perturbação pós-stress traumático
Crianças e jovens
Acontecimentos traumáticos
Sintomatologia de stress traumático
Children's Revised Impact of Event Scale
Post-traumatic stress disorder
Children and youth
Traumatic events
Traumatic stress symptoms
Issue Date: 2014
Citation: Moreira, M. C. S. (2014). Avaliação do stress traumático em crianças e jovens expostos a acontecimentos difíceis. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1993
Abstract: Durante as últimas décadas tem sido cada vez mais reconhecido que as crianças e jovens podem apresentar sintomas de Perturbação Pós-Stress Traumático após a exposição a uma variedade de acontecimentos traumáticos. Estes podem ser: maus-tratos, abuso sexual, guerra, acidentes de viação, catástrofes naturais, complicações médicas, acontecimentos marcantes negativos em contexto escolar, entre outros. Após esta exposição podem ser observadas uma grande diversidade de respostas emocionais, cognitivas e comportamentais em crianças e jovens. Neste sentido, partimos para este estudo com a hipótese de que jovens expostos a acontecimentos de vida marcantes negativos, tem mais possibilidades de desenvolver sintomatologia traumática, tendo com objetivos: traduzir e validar um instrumento que avalia a sintomatologia de stress traumático em crianças - a Children‟s Revised Impact of Event Scale (Escala de Impacto de Eventos para Crianças); descrever a frequência de exposição a acontecimentos potencialmente traumáticos em contexto escolar e noutros contextos, através da aplicação de uma lista de acontecimentos geradores de stress para crianças e jovens; e por último, avaliar os efeitos que a exposição a estes acontecimentos gera face à sintomatologia de stress traumático. Desta forma, adotando uma metodologia quantitativa, foram obtidos resultados que nos permitem caracterizar numa amostra de 66 jovens quais os acontecimentos negativos que ocorrem com mais frequência, em que contexto, as pessoas que costumam estar neles envolvidas, os que são considerados os piores acontecimentos e ainda aqueles que geram uma maior sintomatologia traumática. Tendo-se confirmado a nossa hipótese inicial de que crianças e jovens que vivenciam determinados acontecimentos marcantes negativos, têm mais possibilidades de desenvolver sintomatologia traumática. No final, são discutidos estes resultados à luz da literatura encontrada e apontadas as limitações e potencialidades desta investigação.
During the last decades has been increasingly recognized that children and young people may experience symptoms of Post-Traumatic Stress Disorder after exposure to a variety of traumatic events. These can be: maltreatment, sexual abuse, war, traffic accidents, natural disasters, medical complications, negative events in schools, among others. After this display can be observed a wide range of emotional, cognitive and behavioral responses in children and youth. In this sense, we set out for this study with the hypothesis that youth exposed to events of negative remarkable life, is more likely to develop traumatic symptomatology, taking with objectives: to translate and validate an instrument that assesses symptoms of traumatic stress in children - the Children's Revised Impact of Event Scale (Impact of Event Scale for Children), to describe the frequency of exposure to potentially traumatic events in schools and elsewhere, through the application of generating a list of events of stress for children and youth, and finally evaluate the effect that exposure to these events generates face the symptoms of traumatic stress. Thus, adopting a quantitative methodology, results that allow us to characterize a sample of 66 young people, including the adverse events that occur more often, in what context, people who tend to be involved in them were obtained, those who are considered the worst events and also those that generate greater traumatic symptomatology. Having confirmed our initial hypothesis that children and young people who experience certain negative significant events, are more likely to develop traumatic symptomatology. In the end, these results are discussed in light of the literature found and pointed out the limitations and strengths of this investigation.
URI: http://hdl.handle.net/11328/1993
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TMPS 93_S-ANEXOS.pdf1.59 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.