Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/1894
Title: Envelhecimento, funções executivas e estratégias de coping: Um estudo em idosos
Authors: Miguel, Isabel, orientador científico
Vásquez-Justo, Enrique, orientador científico
Túlio, João Pedro Costa
Keywords: Envelhecimento
Funções executivas
Estratégias de coping
Aging
Executive Functions
Coping Strategies
Issue Date: Mar-2017
Citation: Túlio, J.P.C. (2017). Envelhecimento, funções executivas e estratégias de coping: Um estudo em idosos. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/1894
Abstract: De acordo com Pimentel (2005), ser idoso, só por si, não deveria ser um acontecimento negativo e preocupante. Os seres humanos, só porque envelhecem não perdem necessariamente as suas capacidades e os seus saberes podem ser preciosos numa sociedade em transformação. O envelhecimento é um fenómeno natural, universal e imprescindível (…), que ocorre a diversos níveis e muda de pessoa para pessoa (Pimentel, 2005). O trabalho seguinte carateriza-se por ser de natureza quantitativa, pretendendo assim avaliar se as estratégias de coping influenciam as funções executivas em idosos. Procedeu-se assim a uma amostra de 90 idosos institucionalizados e não institucionalizados (55 mulheres e 35 homens), sendo um dos requerimentos de participação não apresentar declínio cognitivo quando avaliado pelo Mini Mental State Examination (MMSE, Folstein, Folstein & Mchugh, 1975). Os participantes foram avaliados pela BriefCope. Para além da BriefCope os participantes ainda foram submetidos a uma bateria de testes de avaliação neuropsicológica para avaliação do desempenho dos participantes ao nível da flexibilidade, inibição, atualização e planificação; Teste de cartas de Wisconsin (WCST, Heaton, Chelune, Talley, Kay & Curtiss, 1993)), Trail Making Test A e B (Cavaco, Pinto, Gonçalves, Gomes, Pereira, & Malaquias, 2008; Cavaco, Gonçalves, Pinto, Almeida, Gomes, Moreira, Fernandes, & Teixeira-Pinto, 2013) que permitem avaliar a flexibilidade cerebral; Teste de Stroop (Castro, S. L., Cunha, L. S. & Martins, L. (2000)) e Teste dos 5 Dígitos (FDT, Sedó, 2007) que permitem avaliar a inibição; Escala de Inteligência de Wechsler (WAIS-III, Ferreira, Machado & Rocha, 2003) Memória de dígitos, código de Símbolos, teste das Semelhanças, prova de Aritmética, pesquisa de Símbolos, Teste de Fluência Verbal (Montiel, J. M., Cecato, J. F., Bartholomeu, D., & Martinelli, J. E. (2014)) que permitem avaliar a atualização e Teste do Mapa do Zoo (Andrade, L., Araujo, C., Moratori, P., Lima, C., Mattos, P., Franco, C., & Soares, A. (2004)) e Teste da Procura da Chave (Wilson, B. A., Alderman, N., Burgess, P. W., Emslie, H., & Evans, J. (1996)) que permitem avaliar a planificação. Observou-se que as estratégias de coping apresentam correlações nas funções executivas nomeadamente ao nível da inibição, flexibilidade, atualização e planificação cognitiva. Pretendeu-se, assim, contribuir para o aprofundamento da compreensão da relação entre as estratégias de coping e as funções executivas em idosos.
According to Pimentel (2005), being elderly, by itself, should not be a negative and worrying event. Humans, just because they grow older, they do not necessarily lose their capacities, and their knowledge can be precious in a changing society. Aging is a natural, universal and indispensable phenomenon (...), which occurs at different levels and changes from person to person (Pimentel, 2005). The following work is characterized by being of a quantitative nature, in order to evaluate if the coping strategies influence the executive functions in the elderly. A sample of 90 institutionalized and non-institutionalized elderly (55 women and 35 men) took place, one of the participation requirements being not to present cognitive decline when evaluated by the Mini Mental State Examination (MMSE, Folstein, Folstein & Mchugh, 1975). The participants were evaluated by BriefCope. In addition to BriefCope, participants were also submitted to a great amount of neuropsychological assessment tests to assess participants' performance in terms of flexibility, inhibition, updating and planning; Winsconsin Card Sorting Test (WCST, Heaton, Chelune, Talley, Kay & Curtiss, 1993), Trail Making Test A and B (Cavaco, Pinto, Gonçalves, Almeida, Gomes, Moreira, Fernandes, & Teixeira-Pinto, 2013) that allow to evaluate cerebral flexibility; Stroop test (Castro, S. L., Cunha, L. S. & Martins, L. (2000)) and Five Digit Test (FDT, Sedó, 2007) that allow to evaluate the inhibition; Wechsler Adult Intelligence Scale (WAIS-III, Ferreira, Machado & Rocha, 2003) Digit memory, Symbol code, Similarity test, Arithmetic test, Symbols search, Verbal fluency test (Montiel, JM, Cecato, JF , Bartholomeu, D., & Martinelli, JE (2014)) that allow to evaluate update and Zoo Map Test (Andrade, L., Araujo, C., Moratori, P., Lima, C., Mattos, P. , Franco, C., & Soares, A. (2004)) and Key Search Test (Wilson, BA, Alderman, N., Burgess, PW, Emslie, H., & Evans, J. (1996)) which allows to assess the planning function.. It was observed that the coping strategies present correlations in the executive functions, namely at the level of inhibition, flexibility, update and cognitive planning. The aim was to contribute to a deeper understanding of the relationship between coping strategies and executive functions in the elderly.
URI: http://hdl.handle.net/11328/1894
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TMPS 86.pdf469.11 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.