Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/2451
Title: A relação entre supervisão abusiva e confiança organizacional: o papel da autoestima
Authors: Velez, Maria João, orientador científico
Silva, Daniela Pereira da
Keywords: Supervisão abusiva
Autoestima
Confiança organizacional
Desempenho
Abusive Supervision
Self-esteem
Organizational trust
Performance
Issue Date: 14-Sep-2018
Citation: Silva, D. P. (2018). A relação entre supervisão abusiva e confiança organizacional: o papel da autoestima. (Dissertação de Mestrado), Universidade Portucalense, Portugal. Disponível no Repositório UPT, http://hdl.handle.net/11328/2451
Abstract: Recentemente o interesse pela supervisão abusiva (Tepper, 2000) tem vindo a aumentar devido às consequências negativas quer para o individuo, quer para a organização como um todo. Verifica-se a necessidade de estudos adicionais que identifiquem fatores individuais que possam minimizar os efeitos adversos da supervisão abusiva. Especificamente propomos a autoestima como moderador na relação entre supervisão abusiva e confiança organizacional e desempenho dos colaboradores. Adicionalmente, sugerimos a confiança organizacional como possível mediador entre supervisão abusiva e desempenho. O modelo apresentado foi testado recorrendo a uma amostra de 201 díades (supervisor-subordinado) de diferentes contextos organizacionais. Os nossos resultados confirmam a confiança organizacional como mediador na relação entre supervisão abusiva e desempenho, verificando-se também o papel moderador da autoestima nesta relação, ou seja, quando a autoestima dos colaboradores é elevada, a relação negativa entre supervisão abusiva e confiança organizacional não é significativa. Para além da contribuição teórica para a literatura existente sobre supervisão abusiva, os resultados obtidos reforçam ainda a importância de as organizações desenvolverem estratégias práticas para aumentar a autoestima dos colaboradores e incrementar a confiança organizacional.
Previously, the interest in the study of abusive supervision (Tepper, 2000), has a trend to rise due to negative consequences either for the individual, or to the organization as a whole. There is a need for additional studies that identify the individuals’ factors that can minimize the adverse effects of abusive supervision. Specifically, we propose self-esteem as moderator in the relationship of abusive supervision and of organization trust and performance of the collaborators. In addition, we suggest organizational trust as a possible mediator between abuse and performance. The presented model was tested for a sample of 201 dyads (supervisor-subordinate) from different organizational contexts. The results of confirm that organizational trust is the ideal connection as a mediator in the relationship between abusive supervision and performance, being moderating role of self-esteem in this relationship truthful, that is, when employee self-esteem is high, the negative relationship between abusive supervision and organizational trust is not significant. In addition to the theoretical contribution to the literature on abusive supervision, the results also reinforce the importance of organizations developing practical strategies to increase employees' selfesteem and increase organizational trust.
URI: http://hdl.handle.net/11328/2451
Appears in Collections:INPP - Dissertações de Mestrado / MSc Dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TMPS 118.pdf283.15 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.