Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11328/1040
Title: Teoria das redes: ambiente favorável para a aquisição de recursos estratégicos como o conhecimento, para a internacionalização das PME.
Authors: Lobo, Carla Azevedo
Guedes, Júlio Faceira
Keywords: Internacionalização
Redes
Conhecimento
Recursos estratégicos
Competências empreendedoras
Internationalization
Networks
Knowledge
Entrepreneurial Skills
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade do Algarve, Escola Superior de Gestão Hotelaria e Turismo
Abstract: Hoje em dia, as empresas precisam de estar num constante processo de inovação e a reestruturar constantemente as suas operações para responder aos requisitos da concorrência nacional, mas talvez muito mais da internacional. O insucesso nos mercados internacionais pode levar a perdas de oportunidades de mercado, mas também a uma maior probabilidade de se agravarem as possibilidades de sobreviver no longo prazo. As empresas têm de encontrar novas formas para desenvolver vantagens competitivas que passam por procurar e adquirir novas competências, recursos e capacidades. O conhecimento é um importante recurso estratégico devido ao seu impacto na capacidade competitiva da empresa. Em muitos casos as empresas, nomeadamente as mais pequenas (International New Ventures – INV) podem ganhar acesso a esses recursos, incluindo conhecimentos específicos de mercado, através de formas alternativas de gestão, tais como as redes industriais. Integrar uma rede pode facilitar o acesso a recursos específicos de mercado, nomeadamente ao conhecimento, que uma empresa isolada não poderia ter de outra forma. No nosso trabalho, através de um estudo empírico com 320 empresas portuguesas internacionalizadas encontramos evidências da importância que têm as “Redes Relacionais” para os empresários portugueses, bem como as “Competências Específicas dos Colaboradores”, a “Experiência Internacional dos Colaboradores” e a “Propensão Empreendedora e para Assumir riscos dos Colaboradores e Direção”, em consonância com a Teoria do Capital Humano, e a Teoria das INV, a Population Ecology Approach.
Nowadays, firms need to engage in a continuous innovation process and constantly restructure their operations to meet the requirements of national but, most of all, international competition. Failure to act internationally may lead to a loss of market opportunities, but also to a more severe inability to survive in the long run. Firms must find new ways to develop a competitive advantage which entails searching for and acquiring new skills, resources and capabilities. Knowledge is an important strategic resource due to its impact on firms’ competitive capacity. In many instances, firms, including international new ventures, may access those resources, including the market –specific knowledge, through alternative ways of governance, such as “industrial networks”. Integrating a network may facilitate access to market-specific knowledge that an isolated firm would not be able to get hold of otherwise. In our work, through an empirical study with 320 Portuguese international firms we found evidence of the importance of Networks to Portuguese entrepreneurs, as well of the importance of “Specific Skills of its workers”, “International Experience of its workers” and of “Entrepreneurial Propensity and to take risks from workers and top management team”, in accordance to Human Capital Theory, International New Ventures Theory, Population Ecology Approach.
URI: http://hdl.handle.net/11328/1040
ISBN: 978-989-8472-60-1
Appears in Collections:REMIT - Livros e Capítulos de Livros / Books and Book Chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
artigo final TMS 14 v.final (a)-1.pdf221.18 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.